loading3

Tendinite no tendão de Aquiles, o que é e como tratar

    O tendão de Aquiles é o tendão mais forte do nosso corpo e está localizado na parte posterior do tornozelo. É responsável pela união dos músculos da panturrilha (gastrocnêmios e sóleo) ao osso calcâneo, sendo muito importante para manter o equilíbrio estático e dinâmico do corpo e para impulsioná-lo durante uma caminhada ou corrida.

    Se for submetido a atividades repetitivas de impacto, sobrepeso, ou alterações posturais, pode ocorrer uma inflamação nesse tendão, o que chamamos de TENDINITE DO TENDÃO DE AQUILES.

    Os principais sintomas são dor e rigidez na área afetada. Dependendo do grau da inflamação pode haver também edema, vermelhidão e calor local. Esses sintomas tendem a piorar pela manhã, no início do exercício ou durante a realização de atividades muito intensas.

    Pode ser classificada em 2 tipos, de acordo com a localização da inflamação:

- Tendinite insercional: dor localizada na parte inferior do tendão; onde ocorre a união do mesmo ao osso do calcanhar. É comumente associada a deformidade de Haglund, que é a formação de uma protuberância óssea no osso calcâneo que pode comprimir o tendão.

- Tendinite não-insercional: dor localizada na parte média do tendão, cerca de 2 a 6 cm acima do osso calcâneo. Nesse caso é comum haver espessamento do tendão pois as fibras sofrem degeneração.

    O diagnóstico é feito através da história e do exame físico do paciente, podendo também serem feitos exames de imagem para auxiliar na identificação do grau de acometimento do tendão.

    É necessário realizar um tratamento conservador para que a inflamação não se agrave e gere outras complicações. Se não tratada, o tendão pode se romper de forma parcial ou total, e o tratamento passa a ser cirúrgico.

    Inicialmente o tratamento conservador deve ser realizado com o objetivo de reduzir a dor e a inflamação. Para isso a Crioterapia e o Dry Needling trazem resultados bastante satisfatórios.

    A Crioterapia nada mais é do que a aplicação de gelo no local da dor. Pode ser realizada com saquinho de gelo ou bolsa térmica, sempre envolto por uma toalha para evitar queimaduras. O indicado é fazer de 2 a 3 vezes ao dia, por cerca de 15 minutos.

    O Dry Needling consiste na aplicação de finas agulhas no local da dor e nas áreas de tensão. Além de diminuir a dor e inflamação, reduz também a rigidez.

    Após aliviar esses sintomas, é imprescindível realizar alongamentos e fortalecimento dos músculos da panturrilha, para evitar recidiva da lesão.

    O uso de palmilhas posturais são importantes para obter um melhor resultado no tratamento, pois distribuem melhor a carga e oferecem um melhor apoio aos pés, reduzindo a tensão do tendão.