loading3

Cuidados com a depilação íntima

Técnica conhecida como “Brazilian wax” (depilação brasileira) nos Estados Unidos, a remoção de todos os pelos pubianos, aparentemente não faz bem para a saúde. Os pelos pubianos previnem lesões, traumas e infecções genitais durante a relação sexual.

São muitos os riscos para a saúde relacionados à depilação íntima feminina, principalmente quando se faz a reutilização de materiais, como cera, lâmina, pinças, tesouras ou até mesmo palitos e lençóis. Esse procedimento pode causar microlesões na pele, que aumentam o risco de infecção.

A higiene está relacionada à limpeza da área, e não com a quantidade de pelos. Há mulheres que curtem não ter nenhum pelo lá embaixo, e neste caso, o que impera é o gosto de cada uma. Mas é bom ficar atento, limpar a área com cuidado e atenção redobrada a possíveis sinais de infecção.

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia e da Universidade do Texas descobriram que a depilação total das partes íntimas tem maior incidência de doenças como herpes e chato. Essa pesquisa foi realizada por meio de entrevista com 7,5 mil norte-americanos com idades entre 18 e 65 anos.

Outra pesquisa científica realizada na Academia Espanhola de Dermatologia em Barcelona e pelo Health Center da Western Washington University revelaram que esta prática implica em um sério risco de contrair doenças, principalmente fungos, herpes, o vírus do papiloma humano (HPV), verrugas genitais e sífilis.

Mesmo com estudos, ainda é cedo para afirmar que a depilação total tem influência, realmente, na saúde das pessoas. Muitos especialistas dividem opiniões. Alguns acreditam que ter ou não ter pelos na região íntima não faz muita diferença, que com o uso de roupas íntimas, a função de proteção dos pelos deixou de existir. A questão é que a propagação de doenças sexualmente transmissíveis também cresceu, conforme verificou uma pesquisa realizada na Espanha e nos Estados Unidos. E estas duas coisas estariam correlacionadas.

Como a pele da região íntima é mais delicada, o ideal é evitar realizar a depilação próxima ao período menstrual, pois a sensibilidade à dor fica mais intensa neste período. Dica: Procure uma profissional para não se machucar!

De qualquer forma, é sempre bom conversar com um especialista sobre o assunto.

 

A seguir, a esteticista Bruna Marmitt dá algumas sugestões de cuidados pré e pós epilatórios e depilatórios.

 

Cuidados Pré Epilatorios

Para uma boa epilação é importante o pelo estar em média com 1 cm de comprimento, mais curto dificulta sua remoção e em fios muitos longos pode ocorrer a quebra do mesmo.

É importante esfoliar a o local a ser epilado 3 dias antes do procedimento. Ao esfoliar ocorre a diminuição do estrato córneo, ocasionando assim uma melhor retirada dos pelos.

A higienização antes do procedimento contribui com a eliminação de sebo e suor que são excretados pela nossa pele, como também qualquer outra impureza.

Deve-se evitar o uso de hidratantes e formulações com base de óleos antes do procedimento. A pele oleosa dificulta a aderência da cera, o que pode tornar ineficaz o procedimento epilatório.
 

Cuidados Pós Epilatórios:

  • Evitar o uso de roupas apertadas, o atrito pode irritar a pele e causar inflamação dos poros.
  • Evitar o uso de desodorantes íntimos e produtos que contenham álcool, os mesmo podem causam irritação e desidratam a pele.
  • Evitar a exposição ao sol logo após o procedimento, o mesmo pode causar manchas, lesões e sensibilizar a pele.
  • Dar preferência a cremes calmantes após a epilação/depilação.
  • Dê preferência a estabelecimentos que utilizam alta frequência, a mesma é bactericida e fungicida, o que diminui a chance de aparecimentos de lesões, tais como: furúnculo, foliculite e alergias.

 

Qual a diferença entre epilação e depilação?

A epilação é a remoção dos pelos pela raiz, ou seja, através de métodos que removam o pelo por completo, seja esta remoção temporária ou não. Os tipos de epilação são: cera quente ou fria, laser e luz intensa pulsada. Já os métodos depilatórios são aqueles que removem apenas o comprimento do pelo, sua raiz continua intacta, o que faz com que os pelos cresçam mais rápido. Os métodos depilatórios são: laminas e cremes removedores de pelos.

Cera x lamina, qual método é melhor?

Lamina é um método simples e rápido que pode ser executado em casa e não causam dor, porem os pelos crescem mais rápido. Já a epilação com cera pode causar algum desconforto, porem a pele fica livre de pelo por mais tempo. A escolha do melhor método é pessoal.

Depilação x epilação, qual método oferece menos riscos?

Ambos os métodos podem oferecem riscos a saúde íntima quanto realizados de forma inadequada. A depilação torna o ato repetitivo, pois o pelo cresce mais rápido, o que aumenta a chance de cortes na região. Este método pode causar alergias, irritação lesões na pele. A lâmina deve estar sempre limpa para evitar contaminação por fungos e bactérias. A epilação deve ser feita por um profissional qualificado para que não ajam riscos de contaminação por uso indevido do material.

 

Texto escrito por:
Larissa Ribeiro - Fisioterapeuta  CREFITO/5 - 133.479-F
Bruna Marmitt  -  Tecnóloga em Estética e Cosmética

Fale conosco
pelo WhatsApp!
icons8 whatsapp