loading 1 loading 2
A Importância da Função Respiratória no Pilates

A Importância da Função Respiratória no Pilates

Um dos principais princípios do pilates é a respiração. Parece estranho falar em “aprender” a respirar, mas é assim mesmo, com a prática, o aluno vai adquirindo um ritmo respiratório próprio adequado ao método. No início, parece um treino difícil, pois exige concentração, mas a respiração é importante para a execução correta dos exercícios potencializando o efeito do controle da musculatura.

Durante a avaliação em uma sessão individual, o instrutor irá reconhecer o seu padrão respiratório e assim traçar um plano de treinamento. A respiração consciente ajuda a diminuir a ansiedade e pode ser utilizada no dia a dia, promovendo um maior bem-estar.

Ao controlar a respiração, durante a expiração, contrai-se o power house (músculos abdominais). Inspirasse pelo nariz e expirasse pela boca, sem fazer o freno labial (biquinho) para não aumentar a pressão intra-abdominal. Deve-se prestar atenção para não tensionar os ombros, procure sempre relaxar o corpo. Mente e corpo aqui trabalham juntas!

A respiração correta ajuda a estabilizar a coluna promovendo uma postura mais alinhada. Cuidado ao se levantar após um exercício deitado é comum sentir uma leve tontura devido ao aumento da oxigenação no cérebro.

Dentre os benefícios da respiração do método pilates, está à utilização dos músculos do tórax e das costas, ampliando a caixa torácica durante a respiração, permitindo uma maior expansão pulmonar e uma maior mobilidade do gradil costal, protegendo a região lombar com o recrutamento do músculo transverso do abdômen.

A respiração costo-lateral é a mais utilizada e deve ser realizada de forma contínua e lenta durante os exercícios, evitando as compensações. Busque sempre qualidade nas execuções.

Outro músculo importante na respiração é o diafragma, que está ligado à coluna pelas vértebras lombares tracionando-as para frente, sendo constantemente recrutado durante os exercícios do método. Um diafragma sem alterações, significa menos dores na coluna, pois tem influência direta no padrão postural.

Pilates é uma ótima opção para se exercitar no inverno. Normalmente com o frio ficamos mais tensionados, sentimos mais dores articulares, principalmente nas costas e pescoço e com o pilates, conseguimos promover um relaxamento, assim como os alongamentos diminuem os desconfortos da sensação de “encolhimento” que sentimos no inverno. Sem contar a prevenção de gripes e resfriados com o fortalecimento do sistema imunológico.

Ambientes climatizados como o estúdio de pilates são uma boa opção para facilitar os exercícios. Não deixe a preguiça tomar conta no inverno! Combata o sedentarismo que é a porta de entrada de outras doenças, principalmente as respiratórias.

Joseph dizia, “Respirar é o primeiro e o último ato de sua vida”. Ao desenvolver o método, se preocupava com a respiração, devido aos problemas respiratórios que ele mesmo tinha, como a asma. Por isso, praticava exercícios diariamente.

A asma é comum em todas as idades e no inverno, tende a piorar. A prevenção e o controle dos sintomas são a chave para evitar as crises. Com a prática do método, o aluno aprende a ter um conhecimento sobre o seu padrão respiratório e a mobilizar a sua caixa torácica que geralmente apresenta rigidez.

A dificuldade em respirar devido ao estreitamento das vias respiratórias e a pressão no peito, elevam os níveis de estresse causado pelos sintomas. O pilates diminui a ansiedade e acalma a mente, baixando o nível dos hormônios de estresse. Além disso, melhora o controle respiratório, a coordenação da ventilação com o movimento, melhora o alinhamento corporal, promove a boa postura e aumenta a resistência, trazendo mais autoconfiança ao praticante.

Outra enfermidade que costuma piorar com o inverno é a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), que faz com que o pulmão perca a sua elasticidade e a inspiração torne-se mais difícil, limitando o fluxo de ar dos pulmões progressivamente. Ela pode ser prevenida e tratada, mas não é totalmente reversível.

Pessoas com DPOC reduzem o seu condicionamento físico e a sua capacidade respiratória, sendo que o maior fator de risco é o tabagismo entre outros. As pessoas com DPOC geralmente são resistentes a exercícios devido à fadiga nos membros inferiores, por isso é muito importante à atividade física, pois melhora a função cardiovascular, a resistência e a força muscular.

O método pilates pode ser eficaz para o fisioterapeuta na reabilitação de pessoas com DPOC, pois melhora o sistema ventilatório sendo estimulado pela coordenação da mecânica respiratória e pela mobilidade toracoabdominal. Melhora a expansão pulmonar e com isso os volumes pulmonares. Estimula a circulação e a oxigenação do sangue.

Considerando que o pilates é um exercício de baixa intensidade a moderado, promove uma reeducação da função respiratória e a melhora da consciência corporal, aplicado de forma correta e respeitando os limites de cada um. Os exercícios de pilates devem ser sempre acompanhados por um instrutor capacitado as necessidades individuais de cada aluno.


Texto escrito por: Larissa Ribeiro - Fisioterapeuta